Labradores

Porque eu amo essa raça e nunca canso de falar sobre ela!

(Fonte – Almanaquepet)

16 FATOS SOBRE OS LABRADORES – segundo o site especializado JustLabradors:

  1. Labradores são grandes nadadores poderosos.  O formato dos dedos das patas e da cauda os ajudam nessa atividade.  A cauda também serve como leme para ajudar a orientar na direção certa.
  2. Para os que vivem em locais muito frios, os dedos com membranas também servem como uma espécie de raquete para impedir que a neve se acumule nas patas.
  3. Labradores são impermeáveis.  Sua pelagem é uma característica distinta.  Eles têm uma espécie de casaco-duplo, com um sub-pelo macio que é resistente às intempéries e age como uma camada isolante que protege o cão de frio extremo e de se molhar, enquanto o revestimento exterior, mais denso, reforça essa qualidade à prova d’água do pelo.  O sub-pelo macio também permite que os óleos naturais do corpo afastem a umidade.
  4. Labradores também trocam de pelo.  Apesar de não deixar cair tanto pelo quanto pastores alemães, por exemplo, eles trocam de pelo duas vezes por ano.
  5. Labradores não são territoriais. Portanto, eles não são tão bons cães de guarda.  Eles são mais amigáveis mesmo com desconhecidos.
  6. Labradores são conhecidos por seu apetite voraz.  Eles nunca vão recusar o alimento que você colocar na frente deles, exceto quando não estão se sentindo bem.  Um dos comportamentos negativos mais comuns que devem ser evitados é ceder às suas súplicas à mesa de jantar.  Quando você ceder à sua carinha pidona e dar a ele muito mais comida do que ele precisa a cada dia, você pode facilmente ter um labrador obeso em sua casa.  Obesidade nesta raça tem sido associada com condições de doenças importantes, como a displasia e diabetes mellitus.  O apetite voraz de um labrador também deve ser um motivo importante para você envolve-lo em exercícios e atividades regulares.
  7. Labradores gostam de usar sua boca não para morder as pessoas, mas para segurar objetos.  Uma característica distinta de suas bocas é o controle que eles têm sobre seus músculos da mandíbula.  Eles são capazes de transportar um ovo na boca sem quebrá-lo!
  8. O labrador retriever é uma raça propensa à “ansiedade da separação”.  Eles foram criados para passar o dia com as pessoas e eles desenvolveram a necessidade emocional de interagir constantemente com os outros membros da família.  Apesar de serem conhecidos por sua lealdade incomparável e carinho, eles podem desenvolver manias e comportamentos destrutivos quando são deixados sozinhos por um período considerável de tempo.
  9. Existem apenas três cores oficialmente reconhecidas nos labradores retrievers: preto, amarelo e chocolate.
  10. Muitos acreditavam que labradores pretos fossem mais espertos do que os de cor amarela e chocolate. Mas isso não foi comprovado.
  11. O número médio da ninhada de labradores é de 8 filhotes.  Independentemente das cores dos pais, uma ninhada pode incluir diferentes cores de filhotes.
  12. Labradores machos têm pelagens mais densas e grossas do que as fêmeas e, portanto, eles exigem mais cuidados.
  13. A expectativa de vida dos labradores é de 10 a 12 anos de idade.
  14. Labradores retrievers são propensos a sofrer de displasia coxofemural e distúrbios oculares.
  15. Em comparação com outras raças de cães, labradores amadurecem mais lentamente.  Mesmo que o seu labrador já tenha atingido seu tamanho adulto, ele ainda vai se comportar como um filhote por um longo tempo.
  16. Labradores são os cães mais felizes na Terra

DSC_0138(sim, é o Billy s2)

Adoção x Compra

Tenho ouvido muito a discussão de “O que é melhor? Comprar ou adotar? e decidi dar uma opinião sobre o assunto.

Eu, Nathália, tenho um labrador. Comprado. A compra do Billy foi toda feita pelos meus pais – me deram de surpresa – e foi tudo feito nos conformes: contatar o vendedor, se informar sobre o local, perguntar dos pais, conhecer sobre as origens do meu cachorro.

Os pais, infelizmente agora falecidos, do Billy tiveram uma vida ótima. Viviam em uma fazenda bem grande em jacareí-SP e tinham donos carinhosos. Sei que tive sorte, e sei que isso envolveu pesquisa e procura dos meus pais. Pois nem sempre os pais de nossos amados companheiros são tão bem tratados. Nem sempre são cuidados com amor. Muitas vezes, na verdade, são tratados simplesmente como objetos que, quanto mais tiverem filhotes, mais rendem dinheiro.

Eu, particularmente, hoje, não sei se compraria um cachorro. Com a quantidade de cães para adotar – cerca de 20 milhões de animais abandonados no Brasil -, eu provavelmente iria atrás de um deles.  Mas não porque acho que não se DEVE comprar, só porque os “vira-latas” são normalmente ignorados.

Acredito que a compra deve ser feita não porque o animal tem pedigree, mas porque você se identificou com o cachorro. Devemos deixar a mente aberta para as duas opções, aceitar o cachorrinho que nos escolher e dar o máximo de amor possível à eles.

Sei que este texto não foi super informativo. E nem era pra ser. Era só um recado de que: cachorro é cachorro. Com raça ou sem. E vai ser fiel e amigo de qualquer modo, tudo o que você precisa fazer é dar amor.

E espero que os meus leitores já saibam disso. Que não se importem com raça ou até mesmo cor. Só se importem em amar e cuidar de nossos amigos peludos.

Cachorro é tudo de bom s2

(Cachorrinha vira-lata do meu namorado. Ela é linda, né?)

Aplicativos: Woof.

Hoje em dia tudo está conectado, tudo é postado, curtido etc. E se você é como eu, viciada(o) no seu bichinho – e também um pouquinho viciada em mídias sociais -, vai adorar esse aplicativo. Ele basicamente é um instagram, mas para seu melhor amigo. E eu gostei bastante. Tem um cachorrinho mais fofo que o outro! E você pode ver todos eles, sem parar! Há também, no app, uma sessão onde você cadastra quantos km você e seu parceiro caminharam. O que é muito legal, até porque se você é um pouquinho preguiçoso pode levar pro lado competitivo, e fazer um bem danado ao seu amigo ao querer bater os km dos outros! O aplicativo pode ser encontrado no itunes e eu sinceramente acho que vale a pena. Então vá lá, baixe e se divirta. Mas não se esqueça de que seu cachorrinho é de verdade, e precisa de mais atenção do que só quando você vai tirar as fotos.

Clique aqui para ver o app!

Boa diversão! E mandem seus perfis para eu ver suas fofuras!!

Lealdade.

Hoje a chuva estava terrivelmente forte, e meu cachorro fica no jardim, com a casinha de madeira dele. Ele fica do ladinho da sala, onde eu consigo vê-lo pela porta de vidro. E hoje, observando ele, como sempre, eu percebi mais uma coisa que eu já havia notado mas não havia dado atenção… O quanto o Billy é leal. Não importa a chuva, as pedras de gelo, nada, ele vai até cada brinquedo que ele tem espalhado pelo patio e leva todos eles pra dentro de casa, com ele, no quentinho. Ele não deixa nenhum de fora. Não exclui nenhum. E isso me fez perceber quantas vezes ele fez isso comigo. Quantas vezes eu estava criando uma chuva forte como a de hoje, só que de lágrimas, e ele veio até mim e ficou do meu lado. Ficou ali me ouvindo falar, mesmo que talvez nem entendesse.  E isso, particularmente hoje, me fez botar a mão na consciência e ver que o que meu cachorro faz – meu cachorro, que muitos dizem ser irracional -, muitos humanos, muita gente que eu conheço que são postos como seres pensantes, não fazem. Simplesmente ouvir, não excluir, trazer quem está ao relento para dentro de casa, ou simplesmente para sua área de consciência, ao invés de ignora-los completamente. E ajudar. Ser leal à nossa essência. Quando viramos tão cegos à quem precisa? Por isso… Por favor, nessa época de chuvas que é o nosso verão brasileiro, nessa época que é tão pesada para muitos… Façam o que puderem para ajudar. Se você tem condição de proteger alguém, faça-o. Pode custar dinheiro, mas te garanto que não há nada melhor no mundo do que ver alguém com um sorriso no rosto por algo que você fez. Siga o exemplo do Billy, e de muitos outros animais por ai que são mais gente que nós. Mesmo que pouco, ajude.

 

Eu entendo que talvez isso não seja do interesse de muitos, mas aos poucos que se interessam, obrigada. Eu tenho certeza que tudo que você fizer de bom virá em dobro.

 

Alias, Feliz ano novo à todos. Beijos de mim, e um grande woof do Billy.

NCL.

Adotou um cachorrinho e quer saber a idade dele? Então leia aí.

Se você adotou em um cachorrinho com idade desconhecida, existem algumas maneiras de descobrir quantos anos ele tem. Quer saber quais? Bom, aí vão as dicas:

1. Dentes: os cães geralmente têm os dentes permanentes por volta do sétimo mês de vida. Se você encontrar com um cachorro com dentes brancos, brilhantes e limpos, provavelmente ele terá cerca de um ano de idade. Quando já estão mais amarelados, o cão poderá ter entre um ou dois anos. Se o cão apresentar uma leve formação de tártaro pode significar que ele tenha entre três e cinco anos. A falta de dentes ou desgaste severo geralmente significa que o cão é um “maduro”.

2. Tônus muscular: cachorros mais jovens são mais propensos a ter uma maior definição muscular. Por causa das atividades e exercícios reduzidos, os mais velhos geralmente não apresentam tanta musculatura ou estão acima do peso.

3. Pelagem: um cão mais jovem geralmente tem a pelagem macia e fina, enquanto que um cão mais velho tende a ter pelos mais espessos e grossos (e às vezes mais oleosos). Além disso, o cachorro pode apresentar manchas cinzas ou brancas, especialmente em torno do focinho.

4. Olhos: brilhantes e claros indicam cães ainda jovens. Já a aparência nebulosa e opaca, significa que o cão é mais velho.